Metafísica do Esse: anacronismo ou fonte de orientação para a ação humana?

Autores

  • Renato Damasceno Neto
  • Thiago Rocha da Cunha

Resumo

O objetivo deste trabalho é responder, Metafísica do Esse: anacronismo ou fonte de orientação para a ação humana? O ambiente de nova era geológica, em que somos “agentes geológicos”, e seus impactos ecossistêmicos; o neo-extrativismo mineral na América Latina, especialmente, em Minas Gerais – Brasil; revelam a presença da ação humana na tensão dialética de destruição e salvação. A Bioética Crítica Latino-americana apresenta-se com fundamentação teórica capaz de descrever, analisar e prescrever ações de prevenção, defesa e promoção da Vida. Em diálogo com essa Escola da Bioética o pensamento crítico de Arturo Escobar, reconhece a necessidade de deslocamento epistêmico de saída da modernidade e do antropocentrismo nas resistências aos conflitos da região. Para compreender esse movimento, buscamos as raízes da modernidade e as suas repercussões nas ações da pessoa humana. A complexidade da crise emana a urgência de novo ethos humano, que realize uma “migração civilizatória”. Para isso, destacam-se três caminhos para a ação humana com primazia: da ontologia, da ética, da Metafísica do Esse. Após analisar convergências e diferenças dos referenciais pesquisados e apontar qualidades e riscos nos três caminhos, concluímos que a Metafísica do Esse não é anacronismo, mas fonte originária de orientação para a ação humana.

Palavras-chave: Metafísica. Ação humana. Modernidade. Bioética. Pessoa humana.

Downloads

Publicado

2023-12-29

Como Citar

Neto, R. D., & Cunha, T. R. da. (2023). Metafísica do Esse: anacronismo ou fonte de orientação para a ação humana?. Annales Faje, 8(5), 26. Recuperado de https://faje.edu.br/periodicos/index.php/annales/article/view/5493