A REGRA LITÚRGICA E O JOGO SIMBÓLICO

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20911/21768757v53n3p743/2021

Resumo

As normas da liturgia foram constantemente compreendidas a partir de um horizonte jurídico englobado pelo direito canônico positivo, e isso sem necessariamente considerar o enraizamento das normas na complexa realidade humana. A partir de alguns estudos feitos por C. Lévi-Strauss, J. Henriot, E. Fink, R. Caillois, C. Duflo, E. Ortigues, R. Guardini, H. Küng, L-M. Chauvet, e M. Brulin sobre o jogo e o símbolo, este artigo busca mostrar que, ultrapassando os limites estabelecidos pelo direito, a regra da liturgia é profundamente enraizada em princípios partilhados ao mesmo tempo pelas ciências sociais e a teologia. A abordagem desta problemática, além de contribuir na reflexão sobre o fundamento do caráter jurídico das práticas litúrgicas, pode ajudar a reconhecer a vida litúrgica como fonte de suas normas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2021-12-21

Como Citar

TENÓRIO MACIEL, Creômenes. A REGRA LITÚRGICA E O JOGO SIMBÓLICO. Perspectiva Teológica, [S. l.], v. 53, n. 3, p. 743, 2021. DOI: 10.20911/21768757v53n3p743/2021. Disponível em: https://faje.edu.br/periodicos/index.php/perspectiva/article/view/4756. Acesso em: 18 jul. 2024.