UMA IGREJA QUE “CAMINHA JUNTO”

SINODALIDADE NA ERA DO PAPA FRANCISCO

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20911/21768757v54n1p67/2022

Resumo

O artigo delineia o modo como o Papa Francisco enxerga a sinodalidade, como processo de escuta e de discernimento que implica a participação e o envolvimento de todo o Povo de Deus. Procura-se destacar a natureza essencialmente “relacional” (antes que “instrumental”) da sinodalidade, a qual deve ser compreendida não como uma tática com o intuito de conter os excessos do clericalismo, mas como retorno às origens autênticas da Igreja e de seu modo de proceder. De fato, enquanto comunhão, a Igreja brota da iniciativa de Deus Pai e, por meio do dom do Espírito Santo de Cristo, “reconduz à unidade os filhos de Deus dispersos” (Jo 11,52). Nisto, ela responde a seu ato fundante de ser “constituída como uma assembleia” com o desejo de caminhar junto como um Povo. A  sinodalidade expressa a identidade mesma do Deus da comunhão e da misericórdia que a Igreja proclama ao mundo. A um só tempo, a sinodalidade suscita e mostra a correspondência entre o que a Igreja é em si mesma e o que ela faz no mundo.

PALAVRAS-CHAVE: Igreja. Vaticano II. Sinodalidade. Bispos. Povo de Deus. Laicato. Fiéis.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Publicado

2022-05-01

Como Citar

CZERNY, Michael. UMA IGREJA QUE “CAMINHA JUNTO”: SINODALIDADE NA ERA DO PAPA FRANCISCO. Perspectiva Teológica, [S. l.], v. 54, n. 1, p. 67, 2022. DOI: 10.20911/21768757v54n1p67/2022. Disponível em: https://faje.edu.br/periodicos/index.php/perspectiva/article/view/5009. Acesso em: 18 jul. 2024.

Edição

Seção

Artigos