TEOLOGIA NEGRA E MULHERISMO AFRICANA. O PODER DAS MULHERES NEGRAS DE MATRIGESTAR POTÊNCIAS DE VIDA

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20911/21768757v55n1p213/2023

Resumo

Com o objetivo de tecer um contradiscurso ao discurso teológico hegemônico que, privilegiando a interlocução com a filosofia ocidental, é racista e patriarcal, apresentamos, ainda de modo seminal, o quefazer teológico na interlocução com o pensamento negro, a filosofia africana e, de modo especial, o mulherismo africana. O método da pesquisa está marcado pela análise bibliográfica e a descrição da experiência de encontrar-se na Igreja das Santas Pretas. Os resultados desta pesquisa, como todo pensamento, são inacabados. Desejamos apresentar à comunidade acadêmica algumas referências da filosofia africana como possível interlocutora da teologia, para que esta possa superar a cumplicidade e dependência da filosofia ocidental e, consequentemente, do racismo e do patriarcado. Também desejamos colocar os processos de resistências e reexistências das mulheres negras no centro da reflexão teológica e demonstrar que eles fazem parte de uma memória ancestral que informa o ser afrodiaspórico. A teoria do mulherismo africana pode ser um instrumental útil, também para a teologia, para interpretar esses processos e, com isso, sinalizar outros caminhos para nossas relações de gênero.

PALAVRAS-CHAVE: Teologia negra. Mulherismo africana. Mulheres negras. Igreja das Santas Pretas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2023-04-30

Como Citar

CALDEIRA, Cleusa. TEOLOGIA NEGRA E MULHERISMO AFRICANA. O PODER DAS MULHERES NEGRAS DE MATRIGESTAR POTÊNCIAS DE VIDA. Perspectiva Teológica, [S. l.], v. 55, n. 1, p. 213, 2023. DOI: 10.20911/21768757v55n1p213/2023. Disponível em: https://faje.edu.br/periodicos/index.php/perspectiva/article/view/5167. Acesso em: 18 jul. 2024.