O SILÊNCIO COMO PASSO PARA O PROCESSO DE ESCUTA E SEU PAPEL CENTRAL NAS RELAÇÕES INTER-RELIGIOSAS: UMA REFLEXÃO NO CONTEXTO DA PLURARIDADE DA INDONESIA

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20911/21768757v55n1p71/2023

Resumo

O presente artigo se desenvolve a partir do contexto da Indonésia. Esse país é caracterizado por sua pluralidade em termos de religião, crença, língua, cultura e etnia. Começo a refletir sobre o discurso do silêncio, explorando os rituais praticados pelos hindus em Bali e por vários muçulmanos em Java. Faz-se então um estudo disso a partir de uma perspectiva filosófica na qual o silêncio pode ser entendido como o início da escuta. Em seguida, elaboro o tema a partir de uma perspectiva teológica, na qual se focaliza a figura de Maria, a Mãe de Jesus, na qual o silêncio na escuta pode ser considerado como forma de viver a fé que busca a compreensão e a sabedoria. Finalmente, coloco a questão das circunstâncias das relações inter-religiosas. Nestas, o silêncio na escuta pode ser considerado como um tipo de cultura que requer certas condições, algumas das quais são a prontidão para lidar com tensões internas e a capacidade de escutar através da audição interna do coração por meio do discernimento.

PALAVRAS-CHAVE: Silêncio. Escuta. Fé. Compreensão e sabedoria. Relação inter-religiosa.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2023-04-30

Como Citar

PRAKOSA, Heru. O SILÊNCIO COMO PASSO PARA O PROCESSO DE ESCUTA E SEU PAPEL CENTRAL NAS RELAÇÕES INTER-RELIGIOSAS: UMA REFLEXÃO NO CONTEXTO DA PLURARIDADE DA INDONESIA. Perspectiva Teológica, [S. l.], v. 55, n. 1, p. 71, 2023. DOI: 10.20911/21768757v55n1p71/2023. Disponível em: https://faje.edu.br/periodicos/index.php/perspectiva/article/view/5268. Acesso em: 18 jul. 2024.