UM CAMINHO SINODAL: ECLESIOLOGIA NA PRELAZIA DO XINGU E SUA PRÁTICA SOCIOAMBIENTAL

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20911/21768757v54n2p461/2022

Resumo

Neste artigo, o objetivo é apresentar o caminho sinodal, o qual faz da Prelazia do Xingu uma atriz relevante política e socioambiental no conflito socioambiental causado pelo projeto da hidrelétrica de Belo Monte em Altamira no Pará. A fundamentação teórica, à luz da sinodalidade, relê a eclesiologia do Concilio Vaticano II e sua recepção nas conferências do CELAM, nas Assembleias dos bispos na Amazônia e nas assembleias prelatícias. O método foi a análise de conteúdo que dispõe de elementos diacrônicos para a crítica dos diversos níveis da estrutura eclesial e sincrônicos para exame doutrinal à luz dos documentos eclesiais e fontes próprias da pesquisa como as entrevistas. Os resultados da análise permitem a compreensão da relevância social e política da ação evangelizadora da Prelazia do Xingu, da década de 70 até os dias atuais, como fruto de uma Igreja essencialmente sinodal.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2022-08-29

Como Citar

SANTOS, Sílvio Marques Sousa; NASCIMENTO, Elimar Pinheiro do; PINTO FRAXE, Terezinha de Jesus. UM CAMINHO SINODAL: ECLESIOLOGIA NA PRELAZIA DO XINGU E SUA PRÁTICA SOCIOAMBIENTAL. Perspectiva Teológica, [S. l.], v. 54, n. 2, p. 461, 2022. DOI: 10.20911/21768757v54n2p461/2022. Disponível em: https://faje.edu.br/periodicos/index.php/perspectiva/article/view/4959. Acesso em: 18 jul. 2024.

Edição

Seção

Artigos